Fujam para as …árvores!

Uma alternativa aos inchaços das cidades (e às decepções que elas têm trazido): voltar ao campo, em construções que cercam árvores, e ver, em 360 graus, toda a floresta e as cores do céu. Tenho certeza que você dormiria e viveria melhor! Com painel que capta energia solar e a distribui para uso interno, vidros que protegem do calor e uma série de inovações que permitem a vida moderna ao redor de uma árvore, o protótipo vem sendo testado pelo escritório russo A. Masow há três anos. Parece que agora ficou viável produzi-lo em grande escala.

Por Carol

tree in the house 2.jpg

Além de nos aproximar da floresta, da natureza e da vida como ela era no passado distante, regida pelo ciclo do sol, a ideia vem ao encontro de uma forte tendência de movimento humano: a retirada das cidades. Os centros urbanos estão cheios, oferecem doenças, alagamentos, perigos (principalmente em países como o nosso) e o home office é uma realidade sem volta, possível a inúmeras ocupações.

tree in the house 3.jpg

Para a decoração, o mínimo. O escritório propôs vivermos apenas com o estritamente necessário. Talvez pensemos que o dia a dia é muito mais cheio de coisas, de facilidades que não vemos ali. Mas, para eles, faz todo o sentido essa direção de desapegos. Estamos fartos de possuir tantas coisas e muitas delas são inúteis ou nos deixam mais preguiçosos.

tree in the house 5

“A casa precisa APENAS promover sua evolução espiritual e criativa”, resumem. Sim, a fusão com a natureza é completa… mas confesso que eu ia precisar de alguns armários a mais.

tree in the house 4.jpg

Fotos: A. Masow

Algumas das imagens utilizadas são de divulgação. Se você é autor de uma ou mais delas, e não foi devidamente citado, entre em contato conosco aqui.

Feito em casa

Poucas coisas dão um toque tão distinto e pessoal a um ambiente quanto uma peça produzida individualmente. Ao contrário das peças oriundas dos sistemas de produção em massa, o produto artesanal é fruto de um investimento de tempo, talento e energia que são utilizados para um propósito único que, em geral, também é carregado de expectativas afetivas. Todos esses elementos combinados dão vida à criação, uma vez que a execução da obra corresponde ao cuidado e à atenção pessoal dispendidas pelo artesão. Apesar disso, ainda é possível encontrar quem torça o nariz para a inclusão de peças artesanais na decoração. Por que será?

Por Angelita

99a0801fafcc99643adb08f6a3a394ed.jpg

Por muito tempo as criações artesanais foram associadas a um estilo de vida meio “hippie” – largado e pouco polido – ou simplório e por demais amador. Em função disso, o artesanato costumava ficar restrito às moradias de tipos alternativos ou às de donas de casa habilidosas. Mais recentemente, contudo, novas gerações de artesãos vêm apresentando peças mais diversificadas e estilisticamente bem interessantes. Os exemplares desse novo artesanato combinam todos os elementos necessários para complementar a decoração da sua casa com autenticidade e originalidade inconfundíveis.

0179aeffa740c71ef8aa9c17726067d2

Não importa se o estilo da sua casa é contemporâneo, retrô, clássico ou rústico, a peça de artesanato certa pode acrescentar um verdadeiro sentido de arte ao seu espaço. O artesanato de qualidade costuma ser atemporal, refletindo não tendências de design, mas visões estéticas do mundo. A originalidade de uma peça artesanal pode vir a ser um ponto focal na decoração da sua casa, em especial se ela der pistas sobre sua origem e sua história. Até porque o artesão também pode ser você!

 

Foto 1: Hilkka Jussila

Foto 2: Modernhandcraft

Foto 3: frokenoverspringshandling

 

 

Algumas das imagens utilizadas são de divulgação. Se você é autor de uma ou mais delas, e não foi devidamente citado, entre em contato conosco aqui.

 

Qual é o fluxo da sua casa?

Na arquitetura oriental sempre houve grande interesse em entender as energias da casa. Em um passado distante, surgiram dois interessantes movimentos, o Feng Shui (na China) e o Vasthu (na Índia), que, com base na observação e nas vivências, levantaram questionamentos importantes para o lar. Não estamos aqui levantando a bandeira por essas duas correntes de pensamento. Mesmo que até hoje elas não sejam reconhecidas oficialmente pela ciência, a arquitetura ocidental tem se rendido cada vez mais a alguns dos preceitos que elas pregam. A nós, interessam as lições relevantes que podem ajudar a tornar nossa casa mais aconchegante.

Por Carol

apt 3

Uma dessas lições é sobre o fluxo da casa. Talvez você nunca tenha pensado nisso, mas vá até a sala e repare bem, de um ângulo geral: qual o caminho das pessoas que entram pela porta? É bem rápido, até acessar a área íntima? É atravancado, cheio de obstáculos? Se você disse sim a alguma das alternativas, leia esse texto até o fim. É que os orientais pregam que dessas duas formas, a casa se torna desinteressante, fria, sem vida, sem energia. O caminho sinuoso, em que os móveis pontuam o ambiente sugerindo um caminho sinuoso, é capaz de transformá-la em um espaço desejável, interessante, cheio de magnetismo. Segundo os orientais, esse fluxo faz com que as pessoas que visitam o lugar se sintam mais bem acolhidas ali.

MaxwellGillinghamRyanHome

O designer de interiores Maxwell Ryan, criador da Terapia do apartamento (técnica que virou até livro), diz que um erro comum é que as pessoas encostam todos os móveis em uma parede só, principalmente quando o ambiente é retangular. Com isso, um dos lados fica vazio, sem atração alguma – torna-se apenas uma passagem sem vida. A boa notícia é que você pode mudar isso quando quiser. Tire um dia desses (dia, não noite!) e arraste daqui e dali, até ficar bom. Um exercício prático, barato, e que vai deixar o lar muito mais acolhedor, como a sala da primeira casa do Maxwell, acima, em dois ângulos diferentes. Crie sua disposição de móveis, sem regras. Use apoios laterais à vontade, com cuidado para não impedir a passagem. Torne o caminho mais bacana.

Foto 1: Wall Decor

Fotos 2 e 3: Projetos de Maxwell Ryan/ Divulgação

Algumas das imagens utilizadas são de divulgação. Se você é autor de uma ou mais delas, e não foi devidamente citado, entre em contato conosco aqui.

Degustação de texturas

15

Tapetes, almofadas gostosas e outras peças de texturas diferentes deixam a casa muito mais interessante e têm papel fundamental na sensação de acolhimento que ela promove. Se as peças carregarem significados, bordados ou trabalhos que tenham camadas de valor, tanto melhor! No ano passado, conheci o trabalho da argentina Alex Keha, uma tecelã que cria mundos de profundidades diferentes, como se fossem caminhos da natureza.

Por Carol

15 a

A intenção dela é justamente que as pessoas toquem mais em suas casas, pisem mais no chão, sintam com a pele essa esfera. E essa espécie de degustação da casa é uma das formas de fortalecer a sua relação com o lar – o Projeto Hestia prova isso cientificamente. A coisa vai além: as articulações do pé são favorecidas e levam todo o corpo a se reenergizar, a se sentir conectado com o mundo, quando pisamos em chão de terra firme. Qual foi a última vez que você pisou descalço ao chegar em casa? Tire os sapatos já. Lavar os pés fica pra depois. Continuar lendo Degustação de texturas