Mude de casa e turbine a memória

Sempre tem uma casa que marca sua vida pra sempre. No meu caso, foi a que meus pais construíram, onde vivi toda a adolescência. Minhas memórias vão até lá, quando vem a nostalgia. Tive uma surpresa imensa nesses dias, quando vi que os cientistas atestaram isso: os episódios vividos na adolescência e no começo da juventude são os mais marcantes para a memória porque as emoções são realçadas por hormônios disparados e um cérebro mais novo e curioso.

Por Carol

shutter-1516562_1920.jpg

É por isso que guardamos lembranças bem frescas dessa fase – em contrapartida, à medida em que envelhecemos, as memórias se tornam menos vívidas. Mas os pesquisadores da Universidade de New Hampshire foram além no estudo e acharam algo interessante: quando nos mudamos de casa, nossa mente fica mais fresca e rejuvenesce semelhante ao que acontece na adolescência. Nos lembramos mais de episódios relacionados ao período de mudança de casa, porque envolvemos emoções fortes nesse tempo.

vintage-1149558_1920.jpg

No estudo, o público acima de 65 anos deveria citar sua mudança mais marcante entre os 40 e os 60 anos. Os cientistas esperavam que cerca de 13% das memórias importantes estivesse relacionada a mudanças de casa – que, convenhamos, às vezes é até traumática, não? São tantas caixas…Tantas mudanças internas e desapego! Enfim, os cientistas encontraram um número maior: 26% das experiências marcantes a essas pessoas aconteceram entre um ano antes e um ano depois da mudança de casa. O que os levou a acreditar que mudar de residência aguça as lembranças antes e depois do fato em si, como um efeito dominó que contamina outras áreas da vida. E isso é ótimo! A casa nova traz ao cérebro a melhor fixação de experiências na memória.

foto cozinha.jpg

Eu diria, em uma visão bem pessoal, que quando mudamos de casa precisamos fazer uma nova configuração interna também. Sair da zona de conforto e enfrentar um novo mapeamento, encontrar novos jeitos de viver e de ajustar os móveis. É preciso se adaptar ao novo espaço, e isso requer um esforço do cérebro. Experiência de quem já se mudou 11 vezes na vida e pretende se mudar muito mais. Algumas coisas se quebram pelo caminho, eu sei, mas nada melhor que viver dias inéditos – e mais alegres, quem sabe!

Fotos: Pixabay

Algumas das imagens utilizadas são de divulgação. Se você é autor de uma ou mais delas, e não foi devidamente citado, entre em contato conosco aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s